Casa dos Contos Eróticos

DEI O CUZINHO POR DINHEIRO E A BUCETINHA POR PRAZER!

Autor: GISELLE
Categoria: Heterossexual
Data: 22/01/2016 09:11:20
Última revisão: 19/02/2016 08:10:41
Nota 9.43
Ler comentários (5) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Desde quando entrei na adolescência vi que era completamente diferente de outras garotas que estudavam no mesmo colégio que eu.

Erica é meu nome, sou filha única e vivia com minha mãe em uma comunidade pobre de um bairro da periferia de uma grande cidade.

Eu era bem desenvolvida de corpo e tinha 1,70m., cabelos negros compridos quase sempre presos em um rabo de cavalo, porém o que chamava a atenção mesmo eram minhas coxas fortes e torneadas e um bumbum super empinado. Meus seios eram médios com bicos grandes e um rostinho sempre com um sorriso sacana nos lábios.

Meu corpo era todo definido porque naquele bairro pobre como não tinha muito lazer a única diversão que havia no local era um campo de futebol onde eu ia ver os meninos jogarem e um dia faltou um pra completar o time e como não tinha nenhum garoto acabei sendo chamada pra jogar e pra surpresa de todos mostrei que não era nenhuma perna de pau sabendo como controlar uma bola porque vivia brincando com uma no quintal de casa e joguei razoavelmente e até fiz o gol da vitoria do meu time.

Logicamente que virei o assunto mais comentado na roda dos garotos e depois de meia dúzia de jogos onde fui bem virei titular e passei a ter presença obrigatória em todos os jogos.

Eu tinha uma boa altura, no time só havia três garotos maiores que eu e um era o goleiro e mesmo quando o jogo ficava muito faltoso eu não corria do pau e também dava uns chega pra la quando precisava, só que de vez em quando tinha um zagueiro engraçadinho que dava umas encochadas em mim quando era cobrado um escanteio, mas eu não tava nem ai e só pra deixar os adversários bravos também dava umas apertadas fortes nos sacos deles.

Depois de quase um ano jogando quase todo dia meu corpo se desenvolveu tanto que fiquei toda gostosa de corpo igual as garotas que frequentam academias e passei a ser assediada por um bando de rapazes que assistiam aos jogos no campinho do bairro.

Quando nos fins de semana eu colocava meus vestidinhos colados no corpo, sandálias de salto e ia pras baladas e os rapazes me viam toda linda e bem feminina nem acreditavam que era a mesma garota que jogava futebol com os garotos e vivia brigando com vários deles no campo.

Junto com a beleza e o assedio dos rapazes veio o tesão e percebi que tinha um grelo super sensível porque bastavam meia dúzia de esfregadas nele que eu gozar facinho tremendo que nem uma louca. Era completamente viciada em siriricas durante o banho e também antes de dormir.

Namorados tive três ali no meu bairro, mas logo percebi que não ia dar certo porque depois que começavam a namorar comigo já queriam mandar em mim e também queriam mudar o meu jeito periguete de ser nas roupas curtíssimas que mais mostravam meus atributos e apesar de sentir falta de beijos na boca e principalmente de poder me esfregar e sentir as mãos dos taradinhos deslizando gostoso pelo meu corpo decidi que não iria arrumar mais nenhum rapaz ali da região.

Os meus desejos foram atendidos quando arrumei um emprego de atendente em um quiosque de sucos em um shopping e tive contatos com rapazes e homens bonitos cheios da grana e passei a ser convidada pra cinemas, restaurantes, festinhas e baladas em boates da moda.

Apesar de não ter grana pra comprar roupas de grife eu tinha um corpo cheio de curvas que deixava os “gatos e gatões” bem taradinhos com meus vestidinhos bem curtinhos valorizando minhas coxas torneadas e um bumbum duro e empinadíssimo. Sutiã quase nem existia no meu guarda roupa, adorava mostrar os biquinhos duros querendo furar o tecido de tesão quando era beijada e acariciada.

Era só algum homem bonito me convidar pra sair que eu topava no ato e nos carros rolava o maior amasso e apesar de ainda virgem deixava minha xoxota ser acariciada e quando algum mais taradinho começava a beijar minhas coxas eu já abria as pernas e puxava a cabeça dele entre elas fazendo com que lambessem e chupassem meu grelo super sensível e gozava copiosamente na boquinha deles. Também não ficava com frescura quando o cara tirava o pau pra fora e pedia uma gulosa e caia de boca rapidinho. Sentir minha boca gulosa sendo inundada de porra quente me dava um prazer incrível. Na verdade eu era uma virgem muito putinha e gostava de colecionar machos diferentes.

Recebi vários convites pra me levarem no motel e realmente não fui com nenhum porque sabia que ia acabar perdendo o cabaço e ainda não estava tomando “remédio”, porém resolvi que já estava na hora de parar de brincar com a sorte e me prevenir de vez e fui a um posto de saúde onde o medico me receitou anticoncepcional e passei a tomar direitinho. Na minha cabeça eu estava prontinha pra virar uma putinha de verdade.

A primeira coisa que liberei foi meu bumbum empinado deixando os machos loucos com meu rebolado sendo comida por trás com força.

Ter ido trabalhar naquele shopping foi tudo de bom porque depois de apenas 3 meses trabalhando no quiosque de suco o gerente de uma loja de roupas masculinas me convidou pra ser vendedora dizendo que eu tinha um perfil perfeito pra atender os clientes deles e decidi aceitar o convite.

Depois de duas semanas já estava sabendo como devia atender os clientes daquela loja que eram bem exigentes e cheios da grana e o gerente insinuou que vários clientes que compraram comigo comentaram que além de “gostosa” eu sabia como atendê-los.

O uniforme que as vendedoras da loja deviam usar era bem sexy e meu corpo ficava perfeito nele e toda safada quando ia acompanhar os clientes até os provadores nem fechava a cortinha direito e quando o homem ficava de cueca e tinha um corpão eu elogiava sem frescura. Mas o que mais me atraia nesses meus fetiches era quando o homem ficava de cueca e tinha um volume enorme dentro dela me deixava toda excitada.

Não demorou para que alguns clientes da loja me cantarem, mas achei que devia me mostrar uma garota recatada durante meu período de experiência. Só que esse meu “recato” não demorou mais que um mês e meio trabalhando no local porque depois de atender um coroa charmoso de quase 50 anos

Enquanto ele pagava a compra com seu cartão de credito o motorista que o acompanhava, um negro enorme e forte me passou um cartão com um numero de telefone dizendo que devia ligar porque tinha uma proposta bem lucrativa a me oferecer.

Assim que tive uma chance liguei e fui atendida pelo motorista que já abriu o jogo dizendo que o seu patrão tinha ficado apaixonado pelo meu corpo e queria transar comigo e mandou colocar preço pelo programa. Na hora fiquei chateada por ser chamada de “puta” na cara dura e até pensei em mandá-lo tomar no cu e desligar, mas a ambição e a curiosidade falaram mais alto e toda safada abri o jogo dizendo que ainda era virgem na xoxota e por isso não tinha como aceitar o “convite” e resolvi perguntar quanto ele pagava normalmente para as putas.

O motorista com certeza estava com o celular no viva-voz porque escutei a voz do coroa conversando com ele e logo em seguida voltando a falar comigo disse que o patrão me queria mesmo assim porque era tarado por bumbum igual ao meu e estava louco pra comer meu cuzinho prometendo não tocar na minha xoxota virgem. Em seguida disse que o patrão pagava entre 500 e 1000 reais dependendo de quem era a garota e que eu devia pensar na proposta e tornar a ligar.

Entrou um cliente na loja e tive que atendê-lo e depois disso fiquei pensando sobre a oferta de ganhar uma bela grana sendo enrabada.

Com certeza aquele coroa bonitão devia ter muito dinheiro e estava acostumado a fazer isso com muitas garotas e apesar de ter achado ruim ter sido tratada como garota de programa decidi que ia ligar de novo e quase na hora da saída do trabalho fiz isso e foi o motorista negão que me atendeu novamente e bem sacana disse:

-acho que a garota mais linda e gostosa do shopping resolveu fazer a felicidade do meu patrão tarado né?

Não contive um risinho sacana com a frase daquele motorista safado e quando falei pra ele perguntar ao patrão tarado quando iria me pagar pelo meu cuzinho quase virgem ele deu uma gargalhada dizendo que o patrão estava dentro do escritório da empresa e iria demorar uns 10 minutos pra poder falar com ele, mas que por me achar linda e por ter gostado de mim abriu o jogo dizendo:

-garota... já que o patrão não ta por perto... vou te falar uma coisa... depois da nossa conversa anterior o patrão achou que você não ia ligar de novo... mas... se ele estivesse aqui perto ele iria mandar lhe oferecer 1.000 reais... mas... como fui com a tua cara... daqui a pouco quando ele sair vou dizer que você ligou e topa sair com ele pordo jeito que ele ficou fissurado no teu rabo... tenho certeza que ele vai te pagar... mas... não vai dar uma de puta burra e comentar que conversamos sobre isso e também quando estiver no quarto do motel com ele se mostre bem inocente... tipo só brincou algumas vezes com o namoradinho!

Desliguei e na hora fiquei toda animada com aquela conversa e fiquei aguardando que o celular tocasse e depois de uns 20 minutos o negão ligou dizendo que estava indo me buscar junto com patrão pra irmos pro motel e que ele tinha aceitado pagar o que eu tinha pedido.

Apesar de um pouco de receio com o que poderia acontecer saber que iria ganhar toda aquela grana me deixou excitada e assim que entrei no carro o coroa bonitão já foi me agarrando e assim que chegamos no motel o negão motorista ficou na garagem aguardando e entramos no quarto.

Depois de um belo banho sai enrolada em uma toalha e o coroa estava sentado em uma poltrona só de cueca me aguardando e todo taradão já foi me colocando de 4 na cama dizendo:

-quero a putinha assim... com esse rabo todo arreganhado... fiquei louco quando vi esse rabo empinado... paguei caro por esse cuzinho... mas vai valer a pena... vou deixar ele bem inchado... vou te foder bem gostoso sua putinha... será que você é virgem na buceta mesmo?

Olhei pra trás e toda safada dei um sorrisinho dizendo:

-pode examinar... claro que sou virgem na buceta... meu namoradinho só comeu meu cuzinho e ele também é apertadinho... ele tem um pinto pequeno... eu aceitei o teu convite porque preciso ajudar minha mãe a reformar a casinha onde a gente mora... nunca tinha feito isso na vida... juro!

O coroa nem esperou eu terminar a frase e caiu de boca me lambendo todinha por trás, sua língua grande e áspera deslizava desde meu grelo até meu cuzinho me deixando toda úmida. O safado me dava uns tapinhas no bumbum e quando dei por mim já rebolava deliciosamente na língua do tarado.

A safadeza ficou mais gostosa ainda quando ele passou a se levantar e deslizar seu pau duro como aço no rego da minha bunda e entre os lábios da minha xoxota virgem tocando meu grelo. O tesão se instalou de vez no meu corpo e já estava quase implorando pra ele comer meu cuzinho logo, só que quando dei uma olhada pra trás é que me dei conta que o coroa tarado tinha uma pica enorme e grossona demais... com certeza era quase o dobro das picas dos namoradinhos que tinham me enrabado e com certeza ia sofrer pra aguentar aquele tarado socando no meu rabo.

Mas o safado sabia como dar um trato em putinhas porque com sua língua ágil e quente ele me fazia gozar gostoso, seus dedos grossos laceavam meu cuzinho e quando percebeu que estava pronta encaixou a cabeçona na portinha do meu cuzinho e cravou firme. Tentei ir pra frente, mas o safado me segurando firme pelos quadris foi fundo até o talo. Gritei de dor me sentindo arrombada, aquilo entrou rasgando e o coroa todo tarado me deu uns tapas bem fortes na bunda dizendo todo macho:

-pode gritar sua puta gostosa... cuzinho apertado... pode gritar que eu gosto de comer cu assim... sem dó... rebola esse rabo sua cadela safada... paguei pra comer e vou comer do jeito que eu quero... rebola sua puta senão vou pegar a cinta e encher essa bunda linda de cintadas... da esse cu pra mim!

Demorou um pouco pra meu cuzinho se acostumar com o tamanho daquela pica grossona e logo passei a rebolar toda tesuda sussurrando:

-ahhhh... que pauzão gostoso no meu cu... que delicia... como é grande... ahhh... me fode... quero gozar pelo cu... ahhh... fodeeeeeeee!

O coroa tarado não conseguiu segurar o gozo e encheu meu cuzinho de porra quentinha, o safado gozava feito um cavalo e tive um orgasmo incrível gemendo e rebolando espetada naquela pica enorme.

Depois de um rápido banho fomos embora e o motorista deixou o patrão na casa dele que não era distante do motel e então foi me levar até minha casa comigo sentada no banco traseiro do carro.

O negão motorista me entregou um envelope com o meu “pagamento” e depois de uma rápida conferida fiquei toda feliz e então pulei pro banco do carona na frente e dei um beijo estalado no rosto dele agradecendo as dicas que tinha me dado e fazendo com que ganhasse o dobro do que imaginei e falei que quando ele precisasse de mim pra alguma coisa era só pedir que eu fazia no ato.

O safado então tirou seu pintão negro cabeçudo pra fora e me pegando pelos cabelos foi empurrando minha cabeça entre suas pernas e disse:

-acho que a putinha gostosa sabe como o negão aqui ta querendo ser agradado... chupa minha rola putinha safada... mama na rola do negão!

Se a pica do coroa tarado era grande a do negão era um pouco maior e quando enfiei aquela tora na minha boca o tesão voltou a incendiar meu corpo e como fiquei inclinada com minha cabeça entre o volante e a barriga do negão safado logo senti sua mão enorme alisando minha bunda e bolinando gostoso meu grelo inchado. O safado quando parava em um sinal fechado todo safado segurava minha nuca e forçava a cabeçona da sua pica negra bem fundo na minha garganta e quando me dei conta vi que o negão tinha voltado ao motel e já foi me levando pra dentro do quarto me beijando e acariciando de um jeito que me deixava completamente tesuda. Ficamos nus e o negão mostrou um corpo forte com uma pica majestosa dura como aço no meio das pernas me jogou na cama e já foi chupando meu grelo sugando forte e virando o corpo me deu sua picona pra eu chupar e ficamos nos deliciando em um 69 perfeito. Logo mudamos de posição e ele se enfiou entre minhas coxas beijando minha boca e meus seios e todo tarado sentia seu pintão roçando e deslizando na minha xoxota virgem e foi então que ele todo tarado sussurrou em meus ouvidos beijando meu pescoço:

-não sei se a tua conversa que ainda é virgem na buceta é verdade... mas pode ter certeza que vou comer tua buceta sua putinha safada... tô louco pra sentir meu pau inteirinho dentro de você e não vai ser no cu como meu patrão tarado gosta... quero tua buceta... e quero agora sua putinha gostosa!

Nem perdi tempo pensando em nada que não fosse o prazer e sem medo sussurrei:

-quando você enfiar teu pintão gostoso na minha xoxotinha você vai ver que eu sou virgem... mas isso não importa... faz tempo que eu to querendo deixar de ser virgem... e agora que você apareceu pode ter certeza que vai ser você que vai tirar meu cabaço... pode meter seu tarado gostoso... to louca pra dar pra você... quero sentir esse pintão grosso me comendo bem gostoso... mete... mete sem dó... quero ser tua putinha de verdade!

Realmente aquele negro pintudo era um macho decidido porque em segundos encaixou a cabeçona negra na entradinha da minha xoxota virgem e cravou com vontade. Dei um gritinho quando o hímen foi rompido, mas demorou quase nada pra me sentir preenchida por inteira e passar a rebolar como uma louca gozei como queria gozar. Meu macho negro fodeu sem dó minha xoxota deixando ela todinha inchada e quando pensei que ia gozar dentro de mim ele me virou de bruços e todo tesudo disse:

-já que meu patrão arrombou esse cuzinho... agora é minha vez... vou te enrabar também sua putinha gostosa... cu como o teu tem que levar vara!

Meu cuzinho estava todo inchado, mas o negão não tava nem ai e socou firme até o talo. Gritei de dor, mas como o coroa tarado o negão nem deu bola pros meus gritos e me enrabou até não aguentar mais e então dando um urro inundou meu cuzinho de porra fervente e meu gozo foi de uma intensidade louca. Gozei como nunca tinha gozado. Que delicia ser comida por dois machos na sequencia. Depois de um banho gelado reconfortante meu macho negro me levou pra casa e todo safado me fez ir mamando na sua pica negra até chegarmos no destino.

O coroa safado de vez em quando mandava o negão motorista me ligar pra comer meu cu, lógico que o valor do programa diminuiu, mas isso não importava porque alem de gozar gostoso ainda ganhava 500 reais por programa e depois disso meu macho negro me comia gostoso e era um gozo atrás do outro.

Continuei trabalhando naquela loja e de vez em quando aparecia algum cliente rico que me cantava e toda safada eu já abria o jogo e se me pagassem o que eu queria era uma puta completíssima e depois de quase 2 anos nessa vida posso dizer que valeu a pena. Comprei um pequeno AP onde vivo com minha mãe, tenho um bom carro e to levando uma vida com muito conforto e principalmente prazer.

gisellets@outlook.com

+++++++++++++++++++++++++>>>>>

Comentários

11/07/2016 06:16:57
Muito bom
09/02/2016 16:27:10
Muito legal gostei ,e inda bem k teve a cabeça no lugar e soube fazer a coisa certa,muito bom.
08/02/2016 22:37:37
Excelente conto, bem narrado com todos detalhes....delícia total....se tiver fotos ou vídeos, por favor, mande para taradomorenobi@gmail.com. Beijos delícia!
01/02/2016 21:07:01
Nosaa que conto delicioso, como foi lindo a forma que vc perdeu o cabaço com o tal motorista, ja que vc escolheu virar um putinha de luxo era pra vc ter tirado proveito de sua virgindade, para ganhar um dimdim a mais. Fiquei super excitado com essa historia parabens nota maxima...
24/01/2016 02:18:29
Adorei teu conto nota 10

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.