Casa dos Contos Eróticos

Pela amizade, tirei o atraso da minha amiga.

Autor: Ograo
Categoria: Heterossexual
Data: 06/03/2016 10:06:22
Última revisão: 07/03/2016 13:46:32
Nota 9.50
Ler comentários (4) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Bem já leio os contos desse site a anos mas essa é minha primeira publicação, bem me chamo Roberto, 25 anos, 1,98 de altura, 100 quilos, não sou forte tenho um biótipo comum para um cara de quase 2 metros, olhos e cabelos castanhos.

Bem vou relatar algo que aconteceu comigo a cerca de 4 anos atrás, sou de Brasília e estava trabalhando em um dos ministérios (não direi qual por ser bem conhecido lá apesar de não trabalhar mais lá), bem na época eu tinha 21 anos e trabalhava de aux. Adm, e tinha várias amigas lá, na época eu namorava um professora da rede pública, um relacionamento recente, no trabalho a maioria dos meus amigos eram mulheres e entre elas as mais sadadinhas eram Rebeca e Luiza, Rebeca uma morena meio gordinha mais bonita de rosto com uns 37 anos, Luiza uma loira, tinha um rosto bonito mas cheio daqueles buraquinhos deixados pela acne oq deixava ela muito insegura quanto a sua aparência, de contra partida Luiza tinha um corpo lindo e um barriga incrivelmente lisa pra quem bebia como ela, e olha que bebíamos muito!rsrdsrzrz ela tinha uns 29 estava quase fazendo 30 anos.

Certo dia em uma de nossas saidinhas depois do trabalho estavamos em um grupo grande mais nos três nos isolamos em um canto do bar, a música alta, conversávamos vários assunto quando o assunto chego em sexo, Luiza fico meio sem jeito enquanto eu falava de minhas noites de sexos com minha namorada e Rebeca falava sobre o seu marido, percebemos q Luiza ficou meio sem graça e conversa vai conversa vem ela nos confessou q ia fazer um ano q não transava, Rebeca a mais assanhada começou com uma conversa de que eu deveria tirar o atraso dela, e dizia -olha esse peito, essa bicha deve ter um bucetao, tem coragem não Roberto?

Eu fiquei meio sem graça e Luiza também mais o efeito do álcool diminuiu isso é esse pensamento grudou em mim pelo resto da noite, eu comecei a jogar umas conversas pra Luiza pra ver se ela estava aberta aquilo, e em uma dessas investidas perguntei do q ela sentia mais falta no sexo, ela já meio bêbada se abriu pra mim e disse q desde a adolescência quando perderá a virgindade ela sempre fora viciada em beber porra, disse q adorava o gosto daquilo e q se pudesse bebeia todo dia, de imediato me subiu um Tesao, já ia ficando tarde passava das 23hrs e como não tínhamos carro tivemos q ir embora, Luiza morava em uma cidade que ficava no caminho da minha, sendo assim meu ônibus servia pra ela, então direto pegávamos o mesmo ônibus, já Rebeca se despediu e pegou seu ônibus, já dentro do ônibus eu e Luiza conversávamos e toquei novamente no assunto de seu vício por esperma, por ser quase meia noite o onibus estava vazio, e a conversa foi me deixando exitado, eu estava esperando um oportunidade de fazer alguma coisa mas Luiza não esperou e do nada quando dei por mim ela estava com a mão em meu pau por cima da causa, olhei pra ela e sem dizer nada ela se abaixou na cadeira e foi tirando meu pau pra fora, ela chupáva com uma fome de rola que me enlouquecia, a cada parada do ônibus o medo nos exitava ainda mais, ela chupáva a glande a colocando entre a língua e o céu da boca e fazia pressão enquanto sugava forte enquanto q com uma mão me punhetava, percebi que com a outra mão ela se masturbava, ela chupáva gemendo oq levou meu Tesao as alturas, ela então tirou meu pau da boca e viu q ele soltava fartamente uma bainha transparente, ela então mando eu abrir as pernas e se ajoelhou em minha frente, me olhando nos olhos ela começou a lamber a cabeça do meu pau e chupáva a babinha dele e lambia os beiços, meu estado de exitação já estava em um nível irreversível, ela então parou me olhou nos olhos e ficou apertando o tronco do meu pau com muita força, ela não precisou mais chupár eu já senti o gozo vindo, o primeiro jato pulou por cima da cabeça dela indo parar na cadeira da frente, que estava vazia, assim como o resto do onibus, tendo apenas um rapaz senrado la para as primeiras cadeiras, ela correndo pós o pau na boca e os próximos jatos começaram a vir, acho q só uma vez na minha vida tinha gozado aquela quantidade de porra, enchi a boca dela e ainda escapou um pouco que ela juntou na mão, ela abriu a boca me mostrando a quantidade depois fechou a boca e em pequenos goles como alguém saboreando uma cerveja no calor, foi engolindo, depois ela abriu a boca e me mostrou q estava vazia, em seguida ela lambeu a mão onde havia caído um pouco da porra e começou a limpar meu pau o chupando, não deu tempo nem de amolecer e eu já estava em ponto de bala novamente, mas infelizmente já estava próximo a casa dela e ela se ajeito para descer, fiquei na esperança de ela me chamar para sua casa mais eu sabia q não ia dar pois ela ainda morava com os pais, chegando em casa começamos a conversar pelo whats e ela disse q adorou o gosto da minha porra e perguntou se toparia tirar o seu atraso, eu logicamente q concordei, ela disse q teria uma única condição, disse que se eu topasse teria de satisfazer todas as suas perversões sem reclamar, perguntei quais eram essas perversões e ela disse q eu só saberia na hora, bem pra não estender mais do q já fiz, terminarei esse relato em outro texto, sendo meu primeiro conto aceito críticas Boas e ruins.

Comentários

08/03/2016 09:38:59
Ótimo conto, mas cadê a continuação ?
06/03/2016 14:59:21
Bom conto, aguardando continuação. Nota 8
06/03/2016 14:48:07
Legal, amigo é para isso.
06/03/2016 10:52:20
Imagino que essa Luiza vai engolir mais coisas, espero a continuação. Beijos no pau.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.