Casa dos Contos Eróticos

Enrabado por uma trans em fúria

Autor: Vinicius M
Categoria: Homossexual
Data: 08/03/2017 02:03:21
Nota 9.75
Ler comentários (4) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Minha ligação com travestis começou com a Internet. Na minha adolescência eu costumava ver muita pornografia, via de tudo um pouco e fui descobrindo as mais diversas categorias de vídeos porno ao longo do tempo até que descobri as shemales que me deixaram fascinado. Mas apesar disso nunca havia experimentado fazer sexo com uma trans, mesmo depois de anos de curiosidade. Nunca me considerei homossexual, tive minhas namoradas e elas sempre me deram tesão. Apesar disso a curiosidade sempre me acompanhou.

Recentemente comecei a dar uma olhada nos anúncios de acompanhantes na Internet e descobri que haviam muitas travestis belíssimas a um telefonema de distância, ou a uma mensagem de WhatsApp. Comecei então a conversar com elas pelo Whats, fazia perguntas bobas como: onde você atende? Quanto tu cobrar? E assim por diante. Mas por fim sempre inventava uma desculpa para não sai com elas e por fim deletava todas as mensagens para que ninguém visse. Sem me dar conta do que estava fazendo, repeti essa prática algumas vezes por alguns dias. Algumas me mandaram alguns vídeos e diziam que queriam me ver chupando ou coisas parecidas, isso me deixava hesitado, mas não o bastante para chegar aos finalmentes.

Um belo dia eu decidi que queria transar com alguém, como estava sozinho fui atrás dos sites de acompanhantes para escolher uma garota de programa. Eu queria uma mulher, mas dei umas olhadas em umas travestis também. Abri várias páginas no meu navegador para depois decidir com quem ficar. Eram muitas opções e foi difícil escolher uma dentre tantas gostosas.

Finalmente decidi e mandei uma mensagem: “quando podemos nos ver hoje?” e logo recebi uma resposta: “DECIDIU FINALMENTE : ) qualquer hora meu amor”. Achei esquisito aquilo, como assim decidiu finalmente? Mas logo parei de me indagar e marquei uma hora num motel próximo, me arrumei, peguei o carro e fui. Cheguei lá antes dela e fique esperando ansioso. Logo tocou o interfone: “sua companhia chegou” disse a moça da portaria. Fiquei esperando até que finalmente ela chegou.

Uma guria linda, alta, de olhos bem azuis e loira. Era uma boneca que já chegou com uma voz doce e bem feminina. Ela vinha com uma bolsa grande que colocou numa mesinha próxima a porta e logo começamos a nós beijar de língua, era uma delícia. Comecei então abrindo sua blusa e tirando seu sutiã. Seus seios eram fantásticos com o tamanho certo comecei a mamá-los logo em seguida. Ela parecia estar adorando aquilo, fazia uns gemidos de tesão e me disse: “Estou louca pra ver tu me chupando lá em baixo, hmmm!!“ Então comecei a descer beijando tudo o que encontrava no caminho até chegar a fivela do cinto. Lá estava eu, de joelhos, na frente dela, abrindo suas calças sem desconfiar do que havia escondido ali em baixo. Assim que desabotoeis e abri o zíper, comecei a puxar a calça para baixo devagarinho e ela deu uma reboladinha para me ajudar. Percebi que tinha uma coisa estranha naquela calcinha, arregalei os olhos e tendi um pouco para trás.

“E aí? O que você está esperando pra tirar minha calcinha?”. Eu olhei pra cima e disse com a voz engasgada: “eu acho que cometi um erro!”, ela olhou pra mim é disse: “como?” eu me levantei e falei “eu te chamei achando que tu era um menina, desculpa mas acho que não vamos poder continuar!!”.

De repente todo o carrinho que ela havia demonstrado por mim até ali desapareceu. Ela gritou:

-TU ME MANDOU VÁRIAS MENSAGENS NO WHATSAPP ESSA SEMANA FALANDO QUE QUERIA MARCAR COMIGO E DEPOIS DANDO DESCULPAS PRA NÃO IR E AGORA ISSO!!!!

-Desculpa eu....

- EU VIM DE LONGE PRA CÁ TE VER, TINHA OUTRO CLIENTE ME ESPERANDO TAMBÉM E EU DECIDI FICAR CONTIGO...

- Eu te pago....

- NÃO É SÓ PELO DINHEIRO, É TAMBÉM PELO DESAFORO! AGORA DEITA NAQUELA CAMA E FECHA ESSA MATRACA

- OU?

- HAHAHA! Não se faça de espertinho! Pelo teu WhatsApp eu consegui descobrir a tua conta no Facebook, olha.

Ela me mostrou no celular, era verdade!

- Agora tu vai fazer o que eu mandar ou eu vou mandar as mensagens que nós trocamos pelo Whats a todos os teus amigos, entendeu? Tipo aquela de quando eu mandei meu vídeo batendo uma punheta e tu disse que estava louco pra tomar o meu leite!

Agora eu estava totalmente sem ação, não sabia mais o que fazer.

- DEITA NAQUELA CAMA AGORA!

Mas eu não reagi.... então ela abriu a bola e tirou um chicote, chicoteou o chão e bradou novamente

- DEITA...

Como eu não reagi, ela não teve dúvida é chicoteou minas pernas. O negócio era de verdade e doeu muito! Percebi que era melhor eu cooperar e deitei. Por incrível que pareça meu pau estava duro como pedra! Não sabia como isso era possível...

Logo que deitei vi que ela tirou a calcinha e estava totalmente nua na minha frente. O corpo dela era de fato deslumbrante, de deixar muita menina morrendo de inveja, seu rosto, visivelmente brabo, era perfeitamente feminino. Mas quando olhei mais para baixo, engolir a seco. Seu caralho era grande e bem viril, aquilo não era brincadeira! Ela veio em minha direção e se posicionou com o brinquedo em cima da minha bochecha. Eu levantei minhas mãos meio que instintivamente para tirá-lo dali e ela gritou: “NÃO ME TOQUE!!” E fez um movimento rápido com o chicote para eu ouvir o barulho: “agora chupa bem isso, e baba bem que depois eu vou enviar isso no teu rabo” eu só olhei pra ela sem ação e ela novamente chicoteou o ar: “na próxima vez será em ti, agora anda logo”

Abri a boca e ela enfiou, era um cacete enorme, que mau cabia na minha boca. Ela queria enfiar ele inteiro, mas não era possível! Quanto mais ela forçava mais eu tinha vontade de tossir e até vomitar, mas ela não estava nem aí é continuava tentando meter mais fundo. “chupa bem isso, não se esqueça que depois eu vou enfiar isso no teu rabo e tem que estar bem babado pra não doer!” Eu continuei a chutar sem parar até que percebi que ela andava ofegante... “continua, eu não mandei parar!” Humilhado eu continuei até que ela agarrou minha cabeça com as duas mãos e disse: “agora engole tudo...” e imediatamente senti aquele jato de líquido viscoso, quente e salgado entrando na minha boca. Não havia outra opção, tive de engolir e logo veio outro jato, e mais outro e outro em seguida, era muito leite!! Quando finalmente acabou ela me olhou com um sorriso maroto e disse: “agora limpa isso bem, quero ver meu caralho brilhando. Fiquei lambendo todo o restinho que havia sobrado. Aí ela levantou e disse: “agora as minhas bolas”. Chupei direitinho como ela mandou apesar de achar aquilo nojento. Na minha cabeça aquilo era o máximo da humilhação que eu já havia passado na vida, meu carvalho no entanto estava duro feito pedra.

Então ela se levantou e ficou se olhando no espelho por um tempo, depois sentou numa cadeira que havia do lado de uma mesa e ordenou: “estou com sede, levanta daí é pega uma bebida naquela geladeirinha logo ali”, mas naquela altura a única coisa que eu conseguia fazer era olhar pro vazio perplexo com o que havia acontecido. Ela então pegou o chicote e chicoteou minha barriga: “ANDA LOGO, eu disse que dá próxima vez bateria em ti”. Eu me levantei com dor e fui abrir a geladeira: “que bebida tu quer?” ela respondeu: “que bebida tu quer, não. Que bebida minha senhora quer”. Tive, então, que perguntar de novo: “que bebida minha senhora quer?” ela escolheu um champanhe. Percebi que iria ter que pagar por aquela bebida, acabei, no entanto sedento e servi uma taça para ela. Ela tomou calmamente enquanto olhava as mensagens no celular. Sem me dizer o que fazer, eu fiquei lá em pé diante dela me sentindo um inútil, até que ela finalmente passou a mão no seu pênis e encontrou-o pronto para uma próxima rodada.

Imediatamente pegou o chicote, deu uma chicotada no ar e disse em alto e bom som: “AGORA DE QUARTO, RÁPIDO!” Fui para cama e me posicionei. Ela mandou eu empinar a bunda e afundar a cara no travesseiro, o que fiz imediatamente. Agora eu não conseguia ver nada, só senti que a cama a trás de mim sedia um pouco com o peso dela. Ouvi o som dela rasgando a embalagem da camisinha. Ela me deu um tapa na bunda e depois percebi que ela tinha na mão uma coisa que não dava para saber o que era. Ela, então, enfiou, sem aviso, o dedo no meu cu com um pouco de lubrificante, dei uma gemido na hora. “relaxa” ela disse, e foi enfiando aquele dedo cada vez mais fundo tirando em seguida. Podia sentir a cama afundar atrás de mim cada vez mais perto, era agora! Ela me pegou por trás com as duas mãos bem firme e meteu contudo!!! Eu levantei minha cabeça e gritei e ela imediatamente me pegou pelos cabelos e entrou minha cabeça contra o travesseiro. “isso é pra você aprender a não fazer mais essas coisas com a gente, da próxima vez que quiser marcar seja objetivo! Não fique desperdiçando o tempo dos outros!!” Queria pedir desculpas mas mau conseguia respirar com o travesseiro na cara. Mas mesmo com tudo isso, podia sentir que meu pau estava duro como pedra! E embora estivesse doendo, também era gostoso de alguma forma. Aos poucos o prazer começou a ficar mais forte que a dor e eu estava quase ao ponto de gosar. Ela então me deu mais uns tapas bem dados na bunda, eu podia sentir suas bolas batendo contra as minha, quando de repente eu gosei, e gosei muito! Mas ela continuou com um ritmo muito rápido, eu sentia como se tivesse sendo rasgado por teatro. Eu virei minha cabeça pro lado e gritei: “EU JÁ GOSEI, PARA, ESTÁ DOENDO!!”. E logo ela respondeu: “mas eu não” e continuou até finalmente gosar.

Ela então tirou o pau do meu cu e me mandou me virar de frente com ela. Era uma visão um pouco estranha para mim aquela linda mulher com um pênis bem ereto sentada a minha frente, parecia uma montagem, como se o pênis não fosse dela. Como se alguém tivesse pego a imagem de uma menina e inserido um pênis no fotoshop. Meu traseiro ardia e uma lágrima descia meu rosto. O lençol da cama estava cheio da minha porra. Ela olhou pra mim é disse: “vá no banheiro e pegue papel para limpar isso aqui!”. Levantei com dificuldade e trouxe o papel. Seu pau continuava duro mesmo depois de tudo. Eu enrolei o papel em volta e tirei a camisinha cheia de porra e coco. Voltei pro banheiro e joguei no lixo, enquanto ela continuava deitada na cama.

“Agora eu quero um banho” disse ela “ligue o chuveiro e quando a água estiver morna me chame”. Logo em seguida ela veio e me mandou ensaboa-la. Por vim eu dei banho nela, sequei e até a vesti. Ela guardou o chicote na bolsa depois que eu a paguei. Abriu a porta e disse que dá próxima vez eu devia fazer uma lavagem. Bateu a porta e foi embora.

Depois de tudo, já em casa, mandei uma mensagem a ela me desculpando, ela me disse que não estava mais braba comigo e que eu podia marcar um encontro a hora que quisesse.

Comentários

15/10/2017 23:05:59
Belo conto ! Adoro dominação...
08/03/2017 17:22:46
Belo conto mais gosta das trans passivas verdadeiras mulheres com algo a mais kkkkk fedoca50@gmail.com
08/03/2017 16:51:02
Que delícia adoro
08/03/2017 12:53:49
continua

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.