Casa dos Contos Eróticos

Derrepente o amor 22

Categoria: Homossexual
Data: 12/10/2017 01:49:43
Última revisão: 12/10/2017 02:12:29
Nota 9.57
Ler comentários (12) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Fernando chegou por volta das 8hs; entrou na sala de Rodrigo, sentou-se na cadeira de Rodrigo e ficou olhando vagamente para o sofá de couro preto. Ele ainda existia ali, lembrou da primeira vez que se entregou a Rodrigo deitado sobre ele. Pensou em como era tão ingênuo na quela época. Olhou em seu relógio de pulso que marcava 8:10hs e pensou que sua madrinha entraria por aquela porta com balde e vassoura na mão. Como ele queria que aquilo acontecesse... Como ele queria ver a pequena Zezé de novo, sorrindo, toda espevitada. Seu coração apertou uma lágrima escorreu e ele disse em bom som: -Há madrinha! -Como eu queria te ver entrando por essa porta, como queria receber um abraço da senhora. Como queria lhe ver orgulhosa agora diante de mim... Eu consegui! -Mas a senhora não está aqui pra ver isso. O que me adianta está sentado nessa cadeira hoje, se quem eu mais amei, hoje não está do meu lado, o que me adianta, estar sentado aqui se a senhora dinda não pode me abraçar mais. Ele se levantou foi ao banheiro enxugar as lágrimas, lavou o rosto, secou com a toalha sentindo o cheiro empreguinado de Rodrigo. Ele conhecia bem aquele cheiro, aquele perfume. Olhou pro espelho. Viu seu rosto e lembrou de quantas vezes em frente aquele espelho ele se arrumou pra voltar a trabalhar depois de saciar os desejos de Rodrigo ali dentro daquela sala. Então voltou a mesa pegou alguns papéis que estava sobre a mesa e começou a examiná-los, alguns continham anotações com a letra de Rodrigo. Ele parou e tornou a pensar novamente: "Preciso focar no trabalho, não posso ficar viajando para um passado que não existe mais, Rodrigo será sempre meu grande amor, mas hoje eu tenho a pessoa mais maravilhosa do mundo ao meu lado, vivo e tenho que viver pra ele até o fim. E sei que não tenho mais minha dinda comigo, mas ainda tenho minha avó e meu irmão. É por eles que tenho que me orgulhar de ser quem sou e de chegar onde cheguei. Não posso vacilar, tenho que ser firme e seguir em frente. Tornou a remexer nos papéis procurando se concentrar, até que passado poucos minutos, uma jovem senhorita morena que deveria ter aproximadamente entre 25 a 30 anos no máximo. Era uma bela morena de corpo torneado. Lhe deu bom dia. Ele a chamou até sua mesa e estendendo a mão cumprimentou ela. A moça se apresentou a ele disse que se chamava Erica. Os dois conversaram um pouco, ela tinha sido contratado para o lugar da senhora que fazia a limpeza nos escritório. Mal sabia ela que agora seu novo patrão tinha parentesco com a tal senhora que ela fala que substituiu. Ele começou tomando seu café, a menina começou arrumando a sala. Ele explicou a ela que perguntou sobre o outro patrão, Rodrigo no caso. Ele respondeu que aquela agora era a sala dele e que Rodrigo iria para uma outra sala. E os minutos passaram, a menina muito educada e solicita acabou sua limpeza pediu licença e saiu. Não demorou muito e Rodrigo chegou, era já 9:30hs da manhã. Quando Rodrigo abriu a porta, qual não foi sua surpresa, vendo Nando sentado em sua cadeira, usando sua mesa ele disse:

-O que significa isso?

Nando levantou a cabeça calmamente e olhou dentro dos olhos de Rodrigo respondendo: -Siginifica o que? -O senhor pode ter a bondade de ser mais claro?

-Não se faça de besta Fernando, eu chego para trabalhar e encontro você sentado em minha cadeira, na minha sala.

Nando soltou uma gargalhada alta chegando virar sua cabeça para trás e com ar de deboche respondeu: -Sua cadeira, sua sala? Voltou a rir e disse: -Cavalheiro deve está havendo algum equivoco, pelo que eu saiba eu possuo o quase o dobro das ações dessa fábrica sem contar as lojas que estão todas em meu nome. Então até onde me cabe a inteligencia, se é que o senhor tem alguma. -Sim! -Porque eu tenho o bastante para raciocinar que esta é a sala do presidente da empresa, portanto eu; uma vez que muito pouco lhe pertence agora.

Rodrigo enfurecendo-se respondeu: -Você não pode chegar e sair entrando e tomar minhas coisas, tem muito de mim aqui, de minha família e dos meus antepassados que lutaram por essa fábrica.

Nesse ponto o senhor está certo, não se preocupe, não quero nada que não me pertença, hoje mesmo vou tratar de redecorar essa sala. E lhe asseguro que essa cadeira que tanto o senhor da importância e todos esses móveis cafonas que aqui se encontram irão para outra sala onde o senhor possa trabalhar com todos esses pertences hediondos e grotescos que permeiam essa sala.

O ódio já tinha subido a cabeça de Rodrigo e ele respondeu revoltado: -E enquanto isso você quer que eu trabalhe aonde? No corredor?

-Por mim o senhor pode trabalhar até dentro do banheiro dos funcionários, com tanto que não me atrapalhe pois tenho muitas coisas pra resolver aqui.

Rodrigo fervendo de ódio e raiva disparou: -Como se você soubesse ou tivesse competência pra resolver algo aqui.

Há! Pra que Rodrigo foi dizer aquilo! Realmente ele mexeu em casa de marimbondo. Nando se levantou enfurecido de tal forma que nem uma legião de demônios conseguiria impedir ele naquele momento; Nando chegou até Rodrigo e ficou cara a cara com ele, olhou dentro dos olhos de Rodrigo e Rodrigou olhou dentro dos olhos de Nando; os olhos de ambos pareciam duas bolas de fogos e então Nando respondeu, não gritando nem berrando mas com uma calma controlada:

-O senhor pensa que eu ainda sou o menino bobinho que só servia pra limpar aquela lixeira ali que o senhor enchia de papeis todos os dias. -Eu mudei Rodrigo, não sou nem mais sombra do rapaz ingênuo que você conheceu anos atrás. Então não duvide de minha competência. Afinal, se não fosse ela, a essa hora você já teria perdido tudo isso, estaria na miséria e essa fábrica que seus antepassados deram o sangue e o suor não seria nada mais que um prédio abandonado em ruínas. Se não tivesse competência, não teríamos maquinário modernos e nos preparando para um futuro promissor.

Rodrigo abaixou a cabeça; de certa forma Nando tinha rasão o que ele não sabia era que na verdade não foi bem Nando que fez aquilo tudo e sim Jhonson, Nando já pegou a fábrica pronta de bandeja. Mas como ele não sabia disso, Nando aproveitou-se da situação pra jogar na cara dele. Ele suspirou já se acalmando mais e subiu sua cabeça olhando para Nando ficando mais calmo e consequentemente deixando Nando mais calmo; falou:

-Você tem razão, peço desculpas, não queria te ofender, não foi essa minha intenção.

Nando mais calmo respondeu: -Ok! Vamos tentar manter a paz entre nós, uma vez que estaremos doravante trabalhando juntos. Pra que isso nos ajude no nosso objetivo maior que é o futuro da fábrica e das lojas. Eu de minha parte lhe asseguro que resolverei essa situação de uma sala digna para o senhor trabalhar.

-Fico lhe grato, mas agora preciso lhe fazer uma pergunta, não me leve a mal: -Você está mesmo casado com aquele rapaz? -Sim; porque ele me parece familiar.

-Em nossos contratos não existe uma clausula em que diga que deva dar satisfações da minha vida pessoal ao meu sócio?Pelo menos eu não lembro de ter lido isso!

-Por favor não seja tão ignorante comigo é só uma pergunta que mal tem...

-Está bem! -Sim! Eu sou casado com ele, temos um contrato de união estável, realizamos nossa cerimonia de casamento, fizemos tudo certinho perante a Deus e os homens. E você conhece ele, no passado você o viu jogando bola comigo e meu irmão lá na pracinha. Ele estudava com meu irmão, lembro de comentar isso com você na época.

-E você casou-se com um retardado deficiente? Respondeu Rodrigo mordido de inveja. Mas Nando não gostou de ter ouvido o que ele falou de Breno. E em tom mais áspero respondeu:

-Primeiro meu marido tem nome e se chama Breno. Segundo, de retardado ele não tem nada é um grande homem que fez por mim o que você não teve a capacidade de fazer. Terceiro esse deficiente, me deu amor verdadeiro, sobre tudo um sobrenome. Cuida e se preocupa comigo, como se eu fosse algo precioso e de fato ele me faz se sentir a criatura mais preciosa da face da terra. E quarto pra finalizar, acho até redundante você dizer isso; olhe bem pra si e veja se hoje estou aqui é por que você que agiu como um retardado deixando que quase levassem você a falência. E não sei o que você fez e nem me interessa saber, mas olhando pra você assim mancando de uma perna, não lhe vejo menos ou mais deficiente do que o Breno. Por favor peço que o senhor se retire da minha sala. O senhor já extrapolou por hoje; dou nossa conversa por encerrada.

-Eu vou sim. Vou voltar pra minha casa, quando você resolver essa questão da sala me procure para que possa assumir meu lugar de direito aqui dentro. Ele disse isso, mas inesperadamente puxou Nando com força e tascou-lhe um beijo na boca a força. Nando tentou resistir, mas ele foi forte e metendo lingua a dentro beijava Nando com volúpia feito um animal, deixando Nando de pernas bambas e mole em seus braços, quando acabou disse: -Eu ainda te amo muito, muito mesmo, e você sabe disso. E saiu batendo a porta apressado antes que Nando pudesse dizer algo.

Assim que Carmem chegou já tinha uma ordem para que ela comparecesse na sala de Nando. Nando cumprimentou ela e a fez sentar então começou falando:

-Carmem, primeiro de tudo quero uma reforma geral e que dure o tempo mínimo possível. Quero tudo novo, não precisa ser nada extremamente luxoso, mas que tenha requinte.

-E o que o senhor tem em mente?

-Nada. Apenas quero entrar nesta sala e vê-la transformada, diferente. Sem nada que esteja aqui agora no momento, sem essas coisas cafonas e antigas que estão aqui. E só uma exigência que quero fazer. quero três mesas nesta sala, uma maior para mim de frente para porta, com está essa aqui, uma na minha lateral direita e outra na lateral esquerda. O resto deixo a seu cargo, sei que conssiguirar o melhor pra mim. Confio em você e sei que me surpreendera.

-Desculpe-me senhor, mas para que mais duas outras mesas?

-Para meu irmão e meu companheiro. Ainda não sei em que possa emprega-los aqui, nem o que os dois possam fazer, mas quero os dois juntos a mim aqui dentro e trabalhando, assim me evitará dessabores e também fará eles aprenderem algo. Preciso que eles também me ajudem a tocar isso aqui. Quero minha família ao meu lado.

-Isso é um bom pensamente, acho justo de sua parte, e lhe asseguro que não há nada melhor do que pessoas de nossa confiança ao nosso redor. Além disso se caso aconteça algo no futuro com o senhor que precise se ausentar. Terão os dois assumindo seu lugar.

-Exatamente, penso desta maneira. Então estamos intendidos.

-Sim; senhor! -Algo mais que possa lhe ajudar?

-Sim mas duas coisas, quero que providencie essa outra sala aqui ao lado para meu sócio, ela sempre esteve desativada, era lugar de guardar coisas velhas, veja se ainda tem esses lixos, mande limpar tudo de uma reforma também, mas não precisa se ater muito, porque tudo que esta aqui irá pra sala dele. Parece que meu sócio é muito apegado a essas quinquilharias velhas do tempo do pai , do avô ou sei lá de quem mais. E preciso de mais alguma coisa. Depois que você resolver tudo isso venha até minha sala. Quero que me ensine sobre tudo isso, quero aprender cada coisa aqui. Quero estar ao par de tudo e intendendo tudo que se passa aqui e nas lojas o mais rápido possível.

-Tudo bem senhor, tratarei desses assuntos agora pela manhã e a tarde depois do almoço estarei aqui para começarmos a intender a gestão de toda sua empresa.

No almoço Nando desceu para almoçar no refeitório. Todos olhavam e via nele a diferença entre o novo "chefe" e o antigo. Depois subiu passou na sala de Carmem e disse que aguardava ela, assim que terminasse seu horário de almoço. Ela foi e então Nando começou a aprender e se esforçar de verdade e com muito afinco nos negócios da fábrica e das lojas.

O tempo passava, a reforma demorou um pouco mais de uma semana, e Nando comunicou, a Rodrigo para que ele pudesse voltar no dia seguinte pois todas as duas salas estavam prontas. Nesse meio tempo Nando foi aprendendo tudo, claro que ele não teria como aprender em uma semana a gestão de uma empresa, mas já sabia de muita coisa e tinha noção de muitas outras, de que decisões tinha que tomar, de lucros e perdas e outras coisas... No mesmo dia em que Rodrigo beijou ele a força ele chegou a noite em casa e contou pra Breno. Isso gerou ciumes e desconfiança por parte de Breno. Ele ficou bem puto e por dois dias estava evitando Nando, o clima tava tenso entre os dois. Nando então pediu a sua avó e a seu irmão que conversasse com ele. Os dois fizeram isso, Breno se acalmou mais e a noite um pouco mas sorridente passou a tratar Nando melhor. Quando foram se deitar, Breno quis conversar com ele,foi então que Nando disse:

-Meu amor, eu quero que você me intenda, se eu amasse Rodrigo, se eu não tivesse amor por você; você acha que eu te contaria tudo. Além disso com a reforma dessa sala nova, você e Lucas estarão dentro da sala comigo, além de trabalharem o que será muito bom pra vocês dois, vocês dois estarão me protegendo de certa forma. Pois com vocês lá duvido que Rodrigo faça qualquer gracinha. Intendeu amor. Breno fez que sim com a cabeça e puxou o rosto de Nando e então começaram a se beijar, Breno foi descendo puxou o elástico da cueca de Nando e começou uma deliciosa mamada. E os dois fizeram amor naquela noite. Quase duas horas se seguiram de sexo gostoso entre eles, até que dormissem exaustos.

Rodrigo chegou pela manhã e viu sua sala nova, até que estava apresentável. Os seus móveis todos arrumados ali, parecia que Nando fez aquilo de propósito mesmo. E querem saber; Nando fez mesmo. Poderia mandar colocar tudo novo, mas fez questão de deixar tudo que era de Rodrigo na antiga sala, agora na nova sala, de sacanagem mesmo. Esse Nando foi um anjo no passado, agora ele estava até que um pouco vingativo e por que não dizer debochado e sarcástico. Rodrigo já tinha percebido isso nesse novo Fernando que ele desconhecia totalmente. Ele foi entrar na sala de Fernando, afim de falar com ele algum assunto e quem sabe roubar outro beijo, pois não tinha esquecido do último beijo deles e de como Nando reagiu se debatendo pra depois amolecer em seus braços. No fundo ele vislumbrava ali uma ponta de esperança. Mas quando entrou na sala sua surpresa foi grande. Primeiro a sala estava linda, muito bem decorada, de bom gosto. Nossa realmente Nando estava se saindo melhor que a encomenda. Era impressionante como ele tinha requinte, nem de longe parecia o rapazinho humilde de uma casinha simplória do subúrbio. Foi então que ele notou também Breno e Lucas bem arrumados de ternos cada qual em suas respectivas mesas. E ele perguntou:

-Bom dia.

Nando respondeu: Bom dia.

-O que eles fazem aqui?

-Bom eles trabalham aqui. Não lhe comuniquei por que o senhor encontrava-se em casa. Mas contratei os dois para que possa ir aprendendo mais sobre tudo. Afinal preciso de pessoas de minha total confiança que me represente aqui.

-E eu não sou de sua confiança então?

-Sinceramente: -Não! -Mas vamos convivendo com o tempo em paz e harmonia precisamos um do outro aqui certo.

-Ok! Se você pensa assim... Ele ia se virando quando Nando lhe chamou e disse: -Tem aqui alguns relatórios que fiz e preciso que você de uma olhada e depois assine, falta sua assinatura neles.

Rodrigo pegou e saiu da sala. Alheio a tudo por não poder escutar nada Lucas estava de cabeça baixa entretido com uma caneta e um papel, mas Breno que escutava tudo, o tempo todo encarava Rodrigo ali dentro, até o momento dele ir embora e depois olhou bem sério para Nando sentado em sua mesa e Nando lhe disse: -Calma amor, calma! Sabe que teremos que lhe dar com essa situação.

Em sua sala Rodrigo examinava os relatórios e espantado admirava-se do trabalho, Fernando caprichou, estava tudo perfeito, ele só precisava mesmo assinar. Parecia que Nando a vida inteira dirigiu aquela fábrica. Ele estava realmente impressionado. Como Fernando mudou...

############################################################

É isso ai pessoal, outro capítulo. Todos eles agora dentro da fábrica, trabalhando dentro do mesmo teto, nossa... É um barril de pólvora pronto pra explodir... E quando explodir!!! Salve-se quem puder....

Acompanhe os próximos capítulos de Derrepente o Amor. E Vejam as novas emoções.

Bjs com amor meus leitores queridos e até o próximo capítulo.

Com amor e carinho de Renatinho....

Comentários

12/10/2017 23:21:02
Valtersó: Voccê disse bem meu amigo, acho que isso é mais insegurança do que precaução. Acredito que seja isso quando Nando resolveu por Breno e Lucas pra trabalhar com ele.
12/10/2017 23:15:01
Bee20: Obrigado amore mio por esta curtindo meu conto. Nando esta deixando a desejar, mesmo....
12/10/2017 23:13:59
Geomateus: Medos e sonhos deteorados com o tempo.
12/10/2017 23:01:42
Atonx14:Pelo que eu estou captando de Nando, ele ainda é um rapaz simples ao meu ver com todos que ele ama. Houve um capitulo que ele disse que agarraria qualquer oportunidade que ele tivesse, bem ele não estudou não se qualificou, mas agarrou essa oportunidade que teve. Claro que o dinheiro e a vida que ele não teve e que agora ele esta tendo, fez ele subir a cabeça, mas lembrando também que parte disso tudo que ele se tornou foi graças a dor e as feridas que Rodrigo causou ele no passado. Mas eu vejo ele com toda essa prepotência e arrogância apenas pra cima de Rodrigo por quem ele nutre um ódio. enfim.... Vamos ver onde isso vai dar....
12/10/2017 22:07:36
BOM, SE ARREPENDIMENTOS MATASSE RODRIGO ESTARIA MORTO EU ACHO. MAS CREIO QUE O BEIJO MEXEU COM NANDO. TANTO É QUE PA SE SENTIR SEGURO TROUXE O IRMÃO E BRENO PRA PERTO DELE PRA NÃO CAÍSSE EM TENTAÇÃO. MUITO BOM.
12/10/2017 16:34:14
As atitudes do nando está me decepcionando um pouco, não esperava que ele se tornaria essa pessoa .. Uma pena, porém estou adorando cada cap novo bjs
12/10/2017 14:05:01
medos e sonhos.
12/10/2017 13:54:12
A essa altura da historia eu detesto os dois personagens. O Rodrigo por motivos antigos e o Fernando pela pessoa que se tornou. Pra começar eu to achando que ele ta colocando muita banca pra alguém que só teve sorte. Ele paparicou um velho moribundo e ganhou uma herança. Não trabalhou nem estudou pra ter nada do que tem agora e ta cheio de soberba. Ele parece aqueles filhinhos de papai falando de meritocracia. Qual a qualificação que ele tem pra dirigir essa fabrica? E esse nepotismo no final? Fernando ficou pior do que o Rodrigo
12/10/2017 08:49:37
Biel Vans: Obrigado amore, a sua também. Quero descobrir logo desses enjous e se ele ta esperando num filho do Hugo
12/10/2017 08:47:55
Nayarah: Também acho. Agora ta ai.... Se fudeu de verde e amarelo.
12/10/2017 08:46:12
A história tá muito boa
12/10/2017 07:26:20
O Rodrigo deveria ter pensado bem no passado, para agora não ficar arrependido....

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.