Casa dos Contos Eróticos

O destino capítulo 9

Autor: Gaby :3
Categoria: Homossexual
Data: 12/10/2017 09:01:29
Nota 10.00
Ler comentários (2) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Bom dia a todos,

Desculpem por não ter postado cap. semana passada, estou com alguns problemas com minha internet. Espero que vocês gostem.

Quando acordou Mari demorou um pouco para entender o que estava acontecendo, então se lembrou do motivo de estar ali no colo da sua irmã, e começou a chorar de novo, o que fez com que Katy acordasse. Ao ver sua irmã ainda chorando a abraçou forte e voltou a fazer cafuné nela para que ela voltasse a dormir, quando Mari pegou no sono novamente Katy esperou um pouco, se levantou vagarosamente da cama e ligou para a empresa, solicitando que desmarcassem todos os compromissos da agenda de sua irmã pelo resto da semana, pois nunca tinha visto ela tão mal, nem mesmo quando pegou Erica com Vanessa, após ligar para a empresa ela foi para a cozinha fazer um café reforçado pois sabia que assim que Mari acordasse estaria com fome, afinal não havia jantado e nem almoçado no dia anterior. Com o café pronto voltou para o quarto, deixou a mesa de cabeceira e foi acordar sua irmã.

K – Mari... Mari.... Mari....

M – Humm....

K – Vamos, está na hora de acordar para tomar café.

M – Quero não, quero apenas dormir.

K – Mariana! Levante agora! Depois de comer você pode dormir, mas agora você precisa comer e não quero ouvir nenhuma reclamação. Entendeu?

M – Ta bom, ta bom....

K – Entendeu?

M – Entendi sim. – Mari levantou, tomou o seu café, se virou e voltou a dormir.

Katy sabia que não deveria incomodar ela, pois no momento que ela quisesse falar, falaria. Então resolveu sair do quarto e deixar sua irmã dormir.

Mila ~

Depois de ter visto Mari chorando e saindo andando Mila foi atrás dela mas não conseguiu encontra-la, então correu na sua sala e pegou seu celular, ligou para ela e mandou várias mensagens, mas também não obteve sucesso. No dia seguinte acordou mais cedo e foi para a empresa tentar falar com Mari explicar o que havia acontecido, e quando chegou lá foi surpreendida por ver a secretaria confirmando que desmarcaria a agenda da semana. Naquele momento ao ouvir isso sentiu seu mundo cair, seria uma semana ser ver aqueles olhos azuis, e ela sabia muito bem o motivo disso. Então resolveu voltar a ligar para Mari, mas seu celular estava desligado dessa vez.

Mari~

Depois de algumas horas dormindo Mari acordou e chamou por Katy, pediu que ela não perguntasse nada por enquanto, mas que ainda não fosse pra casa do seu pai, pois ela não queria ficar sozinha, estava muito triste, não estava bem para conversar ainda mas queria muito a companhia da sua irmãzinha, e mais do que tudo e do que nunca não queria estar sozinha, pois quando ficasse sozinha sabia que iria pensar na Mila e isso a faria ficar triste.

A semana foi se passando e nada de Mila conseguir contato com Mari, ela estava a cada dia mais apreensiva, pensando em muitas coisas inclusive que ela poderia estar realmente muito doente e tomou a decisão de ir atrás dela. Mesmo tendo tido uma semana muito corrida e não sabendo onde Mari morava resolveu que não deveria mais esperar por ela aparecer para tentar explicar o que estava acontecendo, pois ela também não sabia o que estava acontecendo, o que tinha acontecido naquele dia. A única coisa que Mila sabia é que ter visto Mari chorando daquele jeito tinha acabado com ela, e mesmo que ela não desculpasse, mesmo que ela não quisesse entender, nada disso importava, ela precisava apenas ir lá, explicar, saber se Mari estava bem, se estava precisando de algo. Quando terminou seus afazeres decidiu pedir a Larissa o endereço de Mari, ao se aproximar da sala de Mari, acabou ouvindo Larissa no telefone.

L – Certo Dona Mariana, irei solicitar assim que o motoboy chegar que leve esses documentos para a casa da senhora. A senhora deseja algo mais? Sim senhora, caso ele demore, eu irei levar para a senhora. Está certo. Tchau. Para a senhora também.

Assim que Larissa desligou a ligação, Mila se aproximou para tentar se aproveitar da oportunidade que o destino estava lhe dando para assim poder descobrir o endereço de Mari sem levantar muitas suspeitas.

C – Oi Lari, acabei ouvindo sua conversa sem querer, e queria saber se posso ajudar em algo. Parecia haver urgência na entrega desses documentos.

L – Oi Mila, a Dona Mariana está realmente com urgência desses documentos, mas no motoboy acabou de sair para o outro lado da cidade para entregar uns documentos.

C – Eu terminei o meu expediente, se você quiser eu posso ir levar lá. Só me passar o endereço e os documentos.

L – Nossa, sei nem como agradecer. Tenho prova hoje na faculdade. Espera um instante que vou pegar pra você as coisas, e anotar o endereço. Muito obrigada mesmo Mila.

Então Larissa levantou rapidamente, arrumou todos os documentos que Mari havia pedido, anotou o endereço em um papel e entregou a Mila, que tentou agir o mais natural possível, mas estava incrivelmente feliz pela possibilidade de poder ver Mari novamente. Então assim que saiu de lá chamou um taxi e indicou o endereço que havia acabado de receber. Ao chegar no prédio falou com o porteiro e comunicou o apartamento e o motivo de estar ali.

Mari ~

Ao ouvir o interfone tocando, Mari atendeu e liberou a entrada ao ouvir que tinha uma moça com documentos para ela, achou que seria Larissa que estava ali, então nem se deu ao trabalho de trocar de roupa, apenas voltou para sua mesa na sala que ficava perto da porta e foi para seu notebook continuar fazendo seus trabalhos. Ao ouvir a campainha, mandou que entrasse e ficou ali apenas escrevendo. Foi quando a porta se abriu.

M – Pode deixar os documentos aqui encima Larissa. Muito obrigada por trazer eles para mim. Espero que não tenha lhe atrapalhado.

Mila ficou ali olhando Mari sentada, usando óculos e de short e camiseta, nunca havia visto Mari tão linda, seu coração estava acelerado, e ela nem sabia o porquê de estar assim, mas sabia que estava feliz de ver Mari bem.

C – Não sou a Larissa, mas posso garantir que não me atrapalhou.

Ao ouvir a voz de Mila sentiu uma mistura de alegria e tristeza, estava feliz em ter ela ali por perto, em saber que ela estava preocupada, mas ainda estava triste por ter visto ela beijando o ex. Não sabia o que fazer, não sabia se deveria ou não conversar com ela. Não sabia nem mesmo se deveria olhar para ela.

Espero que tenham gostado. Deixem comentários. E até o próximo cap. Beijos. Mais uma vez me desculpem pela demora. :D

P.S.¹ Viinha, ta ai... mais tarde tem outro. kkkkk

P.S.² Como não postei semana passada, hoje postarei mais um.

Comentários

12/10/2017 14:09:10
Muito bom nao demore
12/10/2017 11:00:55
Haha se não postar vou te perturbar mto .....amando seu conto Gabi

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.