Casa dos Contos Eróticos

A Descoberta 8(Uma Prévia para o Carnatal 1995)

Autor: Skinhead
Categoria: Homossexual
Data: 16/10/2017 13:49:48
Nota 9.67
Assuntos: Gay, Homossexual
Ler comentários (3) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Era dezembro mês de festas, Natal e réveillon estavam a caminho, mas para os amantes do axé, cerveja e putaria, era o mês do Carnatal, época que causa uma histeria e deixa em polvorosa a playboyzada e as patricinhas da cidade, onde o povo só falta vender a mãe para adquirir abadas.

No meu bairro não foi diferente, a galera já estava esquematizando a escolha dos blocos e abadas, mas apesar do frisson do evento, sexualmente não mudou em nada minha rotina.

Minha relação com Caio estava ótima, ele iria pular no bloco “O Bicho” com alguns amigos de colégio.

Eu disse a ele que não iria participar, mas que poderia dar uma passada no terceiro ou quarto dia da festa.

Ele jurou que iria se comportar na festa, mas eu disse que não haveria problema, não era da minha conta, que ele poderia passar o rodo nas patricinhas, desde que ele não pegasse outro garoto, porque senão eu iria quebrar ele no pau...

Sorrindo ele disse:

- ♪♫♩Minha putinha está com ciúmes♬♪♫ ...

- Eu?! Você deve estar é doido... Eu só não quero que você curta com qualquer um e se arrependa depois, pegando uma DST, uma coceira nesse cacete...

Se não me engano caso não me falte à memória, afinal nunca fui fanático por micareta, o bloco se apresenta nos três dos quatro dias de evento.

No primeiro dia do evento, Caio ligou para mim e pediu que lá pelas 14 horas, fossemos para uma casa fechada que havia em sua rua, para darmos umazinha... Era uma casa onde geralmente jogávamos futebol do botão com a galera na área.

Entramos com cuidado, apesar de que pelo sol da hora não havia nenhum doido circulando, somente nós... Fomos em direção ao quintal, onde havia uma janela sem ferrolho e entramos sem perder tempo.

Nós abraçamos, ele me agarrou pela cintura e me pôs junto a parede e com um braço ele alisou meus cabelos e rosto, olhando fixamente para mim, então ele fez algo que nunca ninguém havia me dito, segurando meu rosto ele disse:

-Eu gosto muito de você Binho, eu te amo...

Escutando isso, eu engoli em seco, eu senti um aperto no peito e meus olhos começaram a lacrimejar, eu me senti estranho, era algo novo para mim.

- E você, você me ama também? Perguntou ele.

A minha sensatez já tinha voado pelo espaço, eu nunca fui adepto de afeição, de mostrar meus sentimentos, sempre fui um pouco duro, nunca deixei transparecer o meu eu interior, sempre achei esse negócio de demonstração de afeto uma fraqueza, sempre fui comedido em minhas ações e por isso meus amigos nunca suspeitaram de minha tendência homossexual, e se descobrissem eu estaria moralmente desmoralizado e com certeza seria um pouco desprezado pelos mesmos, mas então eu deixei sair tudo e disse:

- Sim, eu lhe amo Caio... Eu lhe amo mais do que tudo em minha vida...

Eu então me ajoelhei e baixei sua bermuda e cueca, deitando minha cabeça em seu cacete e a seguir olhando para ele:

-Você é a pessoa mais importante (depois de minha família, claro...) da minha vida, por você eu sairia na tapa com qualquer um que lhe quisesse fazer mal, eu mataria por você...

Se abrir para alguém,expor seus desejos não é algo fácil mas deixei fluir...Ele então se ajoelhou,passou a mão em meu rosto e fez menção de me beijar na boca,eu virei o rosto e disse:

- Me desculpe, eu adoraria beijar seus lábios, sentir seu sabor, mas não estou pronto mentalmente, me desculpe, por favor... Sei que qualquer garota ou garoto adoraria beijar seus lábios, sua língua, eu quero, mas não agora, mas por enquanto pode beijar meu rosto,testa,seria tão bom quanto um beijo real...

Ele deu vários, então levantou-se, abaixando seu calção e em seguida deitou-se no chão e me chamou, para fazer oque eu sabia fazer de melhor: O “felatio”...

Ajoelhei-me e cai de boca em seu cacete cheiroso, chupando até chegar a engasgar, de tanta excitação...

- Vou fazer você gozar tanto que não vai sobrar leite para nenhuma rapariga, disse eu.

Caio gemia de prazer enquanto eu o mamava.

- Isso putinha... Mama teu macho, teu homem... Teu namorado... uuuuh....isso...assim minha cadela...

Eu chupava com violência, engolindo quase toda a madeira, em um ritmo veloz... Lambia a cabeça, chupava as bolas, deixando seu cacete todo babado...

O gostoso do Caio gemia e gritava dizendo sacanagens.

-Aaaaaaaaaah... Chupa!Chupa!Chupa minha cadelinha! Faz teu macho feliz... Eu vou encher essa barriguinha de leite quente... Só estamos começando, temos tempo de sobra para passar aqui....

Eu mamava como uma cadela, um bezerro ávido por leite, seu cheiro, seu perfume, me deixava louco, o calor do seu corpo e o meu, parecia uma bateria de lítio... Caio aumentou a velocidade do vai e vem com minha cabeça não demorou muito, só pude sentir a jatada quente enchendo minha boca.

-Uuuuuuuuh! Vai Binho, mama! Iiiiiisso...Mama! Aaaaaaaah! Mama esse cacete minha puta... Quero ver você engolir cada gota meu viadinho safado...

Engoli cada gota de sua porra, seu corpo relaxou, mas sabia que era somente o primeiro round,afinal tínhamos o tempo a nossa disposição,ninguém iria nós atrapalhar,tanto que continuei mamando,aprontando o cacete para a trepada que viria a seguir,depois de alguns minutos,o defunto começou a dar vida,Caio então levantou minha cabeça,olhou-me nos olhos e disse:

-Pode parar Binho, o bichinho já está pronto para entrar em ação, agora o negócio vai melhorar...

Tirei minhas roupas de baixo e deitei em cima para não machucar meu pinto. Caio ficou nú em pêlo pegou a camisinha e o lubrificante que estavam próximos a ele, envelopou o cacete e lubrificou o meu rabo, em seguida abriu e entrou por entre minhas pernas... Relaxei o corpo e deitei a cabeça entre os braços e deixei o negócio rolar...

-Estava louco para te fuder novamente putinha... Hoje você vai sair daqui assado... Vai ser barba, cabelo e bigode... Fique calmo Binho, eu irei ser bem carinhoso.

Dizendo isso, Caio foi penetrando sua vara dentro do meu rabo,cheguei a sentir um pouco de dor apesar da lubrificação,aquela dorzinha inicial da penetração,mas quando pegou o ritmo só foi prazer...

Eu gemia de tesão,ele foi metendo até topar lá dentro,tirando lágrima de meus olhos....

- está gostando minha putinha sem-vergonha?!

-Aaaaaaaah!Aaaaaaah! Caralho! Tira,tira,tira! Devagar Galado... Quer me matar?!

Apesar da dor, consegui me concentrar e suportar as pontadas, Caio bombava forte mas foi aos poucos passando de dor para sensação de prazer,então comecei a implorar por mais.

-Vai galego! Fode seu cuzinho!Mete essa rola cheia de veias no meu rabo! Aaaaaaah! Aaaaaaah! Isso meu galego gostoso... Mete no rabo de sua puta... Enche essa porra de leite!Me arregaça... Bate na sua puta... Temos a tarde toda...

Caio então começou a estapear minha bunda na maior, cada tapa doía, mas era bom para Caralho... Adorava levar tapa...

Aaaaaaaaaaaah caraaaaaalho! Me bate...Uuuuuuuuh! Isso... Isso... Machuca esse rabo!

Ele voltou a bombar com força, metendo com violência, eu rebolava e gemia, meu corpo estava quente, suando... Mas então eu quis tirar a prova de seu amor por mim.

Então eu pedi para cavalgá-lo, queria ver sua reação e atitude quanto ao meu pedido, pois não é todo homem que aceita contato com o penis de outro.

Para meu espanto e mostrando ser quem eu acreditava ser ele então disse:

-Bora...Pode vir...Minha puta então quer cavalgar no seu macho?! Beleza, mas primeiro bote a sua bermuda em cima de minha barriga,eu não quero ficar melado de gala...

Ele então trocou de camisinha, passou lubrificante, fez um bolo com suas roupas para usar como travesseiro, deitou e disse:

-Vem meu viadinho,pode montar...

Eu montei sobre ele agasalhando seu nervo duro, engolindo-o entre minhas poupas... O escroto segurou minha cintura e começou a me puxar para baixo e para cima.

Comecei a cavalgar aquela rola, eu subia e descia do seu cacete com vontade, parecia que estava em um cavalo, eu alucinava a cada penetrada daquele caralho gostoso em meu rabo, comecei a rebolar em cima dele,sem parar,estava em êxtase, Caio não deixou por menos,e começou a me penetrar profundamente, eu sentia seus bagos batendo na minha bunda.

-Isso meu galego gostoso! Mete! Mete! Enche meu rabo de leite... aaaaaah....iiiiisso...iiiisso...Usa e abusa de mim seu escroto!!

Podia ver os olhos de Caio semi-abertos, delirando, não demorou muito e ele começou a gozar:

-Aaaaaaaaaaah!!! Toma caralho!!! Vou encher esse rabo de leite quente...Minha safada...uuuuuuuuuuuuh! Toma porra...

Podia sentir seus espasmos dentro de mim, deitei então minha cabeça em seus ombros e ficamos um bom tempo juntos... Naquela tarde e nos três dias restantes de Carnatal, nós demos umas três trepadas por dia, sozinhos naquela casa.

Durante esses dias, fizemos planos, juras, arquitetamos nosso futuro juntos, coisas de médio-longo prazo, ele falou:

-Eu amo você, gostaria de ficarmos juntos, temos tempo, vamos fazer o seguinte:

Vamos fazer universidade, estudar e quando estivermos prontos, vamos montar nosso escritório e depois quando tudo estiver correndo bem, vamos nos casar...

-Casar?! Nós dois?!Disse eu...

-Não louco!Nós arranjamos duas esposas, seremos casais amigos e seremos amantes...

-Aaah bom...

-Você promete que vai estudar mais, deixar de brincar e levar a sério?

-Eu prometo... Vamos ficar Juntos... Então posso começar a usar seu sobrenome?

-Pode...

Foram ótimos dias, mas sonhos podem ser destruídos, virarem pesadelos, planos desfeitos, juras perderem valor... O inesperado acontece, afinal nem tudo sai como se quer, e como John Turturro disse uma vez: ”Às vezes você chega ao fim do arco-íris e os duendes te armaram uma emboscada”.

Ou às vezes você mesmo é o próprio duende da história e auto se sabota...

Fim.

Comentários

20/10/2017 05:40:40
Perfect❤
17/10/2017 00:36:13
DE FATO VC NÃO AMA CAIO. VC AMA PAU. E DE TODOS. RSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS
16/10/2017 17:48:47
Adorando

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.