Casa dos Contos Eróticos

A Descoberta 9(O reencontro com Gabiru)

Autor: Skinhead
Categoria: Homossexual
Data: 16/10/2017 13:58:05
Nota 10.00
Assuntos: Gay, Homossexual
Ler comentários (1) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Já fazia um bom tempo que não tinha algum tipo de contato com alguém da galera do bairro de Mãe Luiza, muito menos ir até lá, única notícia sobre alguém de lá foi sobre Isaias, que havia se tornado pai, depois de se engraçar com uma sem-vergonha...

No penúltimo dia de Carnatal me encontrei com Gabiru no vai e vem da folia, ele me abraçou e ficou muito feliz em me ver.

-Fala aí playboy! Há quanto tempo que a gente não se vê... Esqueceu dos amigos?

Gabiru estava diferente, não era mais aquele garoto que conheci em tempos atrás, estava mais forte, bombado, pois da última vez que tivemos contato foi emGabiru, ou Christiano como descobrí naquela noite, havia ficado mais atraente, até seu estilo de vestir havia mudado, estava por dizer “plaboyzado”.

Esquecemos um pouco as festividades e paramos para conversar, nós dirigimos a um ambulante, pedimos uma cerveja e um refrigerante em lata que ele fez questão de pagar.

Então fomos para uma rua lateral e começamos a conversar.

- Caralho Gabiru! Está podendo hein, nem parece com aquele boy magrelo das antigas... E aí, oque anda fazendo?

-Gostou hein Boy... É “play”, comecei a puxar ferro, para ficar com corpo de homem e deixar de ser aquele calango... Pegar mais moral e ficar mais respeitado pela galera... E o que estou fazendo é estudar e trabalhar de motoboy.

-Que bom, fico feliz por você estar fazendo algo, melhor de que ficar parado e vagabundando...

-E você boy? Oque anda fazendo, estudando muito? Ou só curtindo? Ainda está dropando muito?

Eu comecei a rir e disse:

- Você é um galado Gabiru... Sim, estou estudando muito e continuo a “dropar”,afinal uma trepadinha de vez em quando é de lei...

Ele então deu uma alisadinha na minha bunda e disse:

- Huuum, sua bundinha continua legal em “play”?E então? Quando é que vou poder “amaciar” esse rabinho novamente?

- Não sei, podemos ver aí um dia legal para a gente se bater, quem sabe?

-Que tal próxima semana?Meus pais não estarão em casa, disse ele...

- Pode ser... Deixe-me pensar aqui...

Está bem,eu vou,está jóia, 13 horas está legal?

- Beleza, me dê seu endereço que eu lhe pego na sua casa, está bem para você?

Apesar de não gostar da idéia, pois meu “namorado” ou alguém poderia ver e isso chegar aos ouvidos dele, mas eu topei e dei-lhe meu endereço...

Enfim, conversamos muito,rimos,bebemos, nos divertimos muito naquela noite, a festa estava chegando ao fim, nós despedimos com um abraço e fui à procura de meus amigos em um lugar pré-determinado.

Passou-se a semana e depois dos rituais diários, um café da manhã bom, um almoço leve para não fazer vergonha na hora H, dois copos de iogurte e um sanduíche de presunto apenas, e depois uma assepsia anal na hora do banho,a conhecida chuca, estava pronto para o combate.

Esperei sua chegada a sombra da árvore do vizinho,a rua estava vazia,afinal ainda era horário de almoço para alguns...

Então felizmente ele chegou, mas não foi algo que me deixou contente.

Gabiru veio em uma bela moto, bela até demais para seus padrões, montado em uma bela CBR-450 branca, trajava camisa regata, bermuda e tênis.

Fiquei receoso, pois sabia que ele não tinha condições financeiras para uma moto daquela e em que condições a havia obtido afinal ninguém empresta uma moto daquela a qualquer um.

- E aí boy, beleza?! Gostou da maquina?

-Muito irada, disse eu...

- E emprestada de um amigo meu... Então, vamos nessa?Tenho uma surpresa para você lá em casa, Pegue o capacete, monte e agarre na cintura de seu macho...

Fiz oque ele disse, oque posso dizer é que até lá foi uma viagem infernal, montado em um foguete pilotado por um macho de 19 anos, mas que estava mais para um moleque sem noção, quase que pôs meu plano de assepsia no espaço.

Enfim, passado os momentos de terror, chegamos a sua residência, Christiano abriu o portão e eu entrei enquanto ele guardava a moto, em seguida ele abriu a porta da casa, as janelas e mandou-me entrar dando um tapão na minha bunda.

-Vai puta! Pode entrar... Fica a vontade que você já conhece a casa do seu macho... Sente no sofá enquanto vou trocar de roupa.

Sentei-me no sofá enquanto Gabiru foi se “trocar”,não demorou muito e ele estava de volta,estava nu, como veio ao mundo, então pude ver que o “upgrade corporal” realmente valeu à pena: pernas, braços, peitoral e abdômen, estavam perfeito, parecia um tanquinho de lavar roupa...

Mas o melhor estava por vir, o lindo nervo duro no meio de suas pernas, duro que nem uma pedra, com um belo par de bolas.

Gabiru veio em minha direção, em uma das mãos uns pacotes de camisinha e na outra uma daquelas bombas penianas que se acham em sexshop...

- E aí boy?! Gostando do que está vendo? Ainda não estou no ponto não, mas quero ficar bem grande, bem rasgado e depois começa a treinar Jiu-Jitsu...

Eu estava curioso então fale:

- Pô Gabiru, você está irado, sarado e gostoso... Mas para que essa bomba? Afinal pelo que vejo você não precisa disso.

Então isso na sua mão é a surpresa?

Afinal sabemos que bomba peniana não tem efetividade nenhuma, apesar de que no momento em que se é usado, fica aquela tromba...

- Sim, esta é a surpresa que estava guardando para você... Ah boy, já faz ½ que comprei essa bomba, todos os dias uso esse bicho na minha rola, melhorou muito, mas pelo visto você não deu muita fé no brinquedo, quer tirar a prova? Segure no meu cacete agora e depois veja a diferença...

Aproximei-me e comecei a pegar na jeba de Gabiru, e senti sua grossura e tamanho, realmente havia melhorado, mas aí eu pensei: “Puta que pariu... O cara já tinha uma madeira decente e fica brincando com essas coisas”... Eu era cético quanto a essas engenhocas, mas também pensei que estaria fudido, e que iria ser foda agüentar esse monstrinho caso não fosse lorota...

Christiano botou aquele trambolho e ficou bombando, bombando e bombando enquanto conversávamos, até terminar o tempo estipulado de uso e depois retirou o brinquedo.

Fiquei espantado com o resultado daquele aparelho, passando de mera conversa fiada há algo totalmente real, comecei a ver que nessa estória eu provavelmente iria tomar literalmente direitinho no rabo, pois seria sua cobaia sexual.

- Fecha a boca boy... Se espantou com o tamanho do salame?!Deixa de frescura e alisa seu cacete, Dê um carinho na cobra...

Carinho?! Eu fiz o que o tesão mandou,caí de joelhos diante daquele nervo e sem cerimônia o abocanhei com se fosse um “chocolate batom” bem-dotado...

Eu estava alucinado,chupava,lambia aquela tora grossa,aquela cabeçorra vermelha,seu cacete pulsava e eu tentava engoli-lo todo,chegando a dar até ânsia de vômito em mim.

Gabiru rindo disse:

-Gostou da surpresa heim puta... Chega está engasgando na manjuba... Isso meu Bezerrinho, mama na teta do seu touro... Aaaaah... Gostoso... Iiiiisso Cadela! Faz oque seu macho manda...

Gabiru estava excitado, ele segurou minha cabeça e começou a foder minha boca, me fazendo engasgar varias vezes, sem nem se importar... A brincadeira mal começara e Christian estava suado, então tirei o peru da boca e falei:

- Já está suando Gabiru?! Estamos só no boquete e já está cansado?

Puto ele falou:

- É?! Ta se achando é boy? A brincadeira nem começou, isso daqui é calor não cansaço...Depois que o “Rock” começar o único a pedir arrego será você,e não adianta dizer “ai,ai,ai meu cú ta doendo” que a brincadeira vai ser grande...E deixa de enrolar e chupe logo a rola que meus ovos estão cheios de leite.

Caí de boca novamente,mamei,mamei e mamei aquele nervo, então ele segurou minha cabeça e começou a gozar, enchendo minha boca de leite.

- Aaaaaaaaaah! Estou gozando... Estou gozando... Engole o creme de leite sua puta! Huuuum...isso boquinha gulosa...

Dessa vez eu não queria, era muita gala, fiz sinal negativo com a cabeça, dizendo que não queria.

- Minha puta não quer tomar leite de copinho não?! O caralho que não quer!! Aqui você não tem querer... Se levanta e bora para o quarto porque a “piroca” vai comer.

Mal me levantei e ele me pôs no ombro e se dirigiu ao seu quarto, chegando lá,a pedido dele,dei uma mamada rápida,oque deu ânimo ao Gabiru.

Tirei totalmente a minha roupa enquanto ele “envelopava”o cacete peguei meu KY e passei gel no meu rabo,Gabiru fez o mesmo,então ele veio por trás de mim,encostando a cabeça enorme na entrada e empurrou sem frescura.

A dor foi violenta, mesmo com o gel, meus olhos começam a lacrimejar, parecia que tinham enfiado uma rola com mertiolate dentro de mim.

-Aaaaaai! Aaaaaai! Para! Para!Para Gabiru... Filho da puta! Está doido?! Quer me matar?!

Ele não deu ouvido, e continuava a meter sem parar, me proporcionando dor e me fazendo até chorar, Gabiru deu-me um puxão violento nos cabelos e um tapão na bunda.

- Cala a boca viadinho escroto, eu vou bombar até arregaçar esse rabo e depois você ainda vai implorar por mais... Está com chorinho por quê?! Até parece que nunca brincou com rola...

Gabiru dava estocadas fortes e em ritmo constante, eu estava quase perdendo os sentidos, estava mole, só oque me salvava era a cama,onde podia me apoiar.

A dor foi diminuindo, a sensação ruim estava indo embora, olhei para trás e pedi para que derramasse mais gel em meu rabo, Christian o fez e começou a bombar relativamente rápido.

Com o alívio do KY, comecei a gostar e a rebolar em seu cacete e o tesão subiu a cabeça.

- Vai! Fode sua puta seu brocha... Faz sua cadela gemer... Eu não vim de longe para dar uma trepadinha... Ele entrou no jogo e re-começou a bombar forte em meu rabo.

- Está gostando agora hein putinha?! Toda patricinha na verdade adora ser tratada como vadia... Seu cu vai ficar todo arregaçado sua puta... Vai passar a semana sentando de lado.

Meu deus, eu estava delirando, um macho escroto fazendo meu rabo, dando dor e prazer, agora eu não estava querendo mais nada, só que continuasse...

Mas então de uma hora para outra ele parou, Christian cessou o ritmo frenético das estocadas e disse:

-Levanta e vem cavalgar seu macho! Eu quero trepar mas olhando você cara a cara...

Gabiru deitou em sua cama enquanto eu em seguida, passei mais gel em seu cacete, então montei e engoli seu cacete com meu rabo, sinceramente para mim, não há posição melhor.

Pus as mãos no belo peitoral de Gabiru, passando a mão e alisando aquele dorso...

-Ei putinha, nada de romance, o negócio aqui é madeira comendo no centro, é prazer, não sentimental, dou maior valor a você, tu é gente fina, nem parece fresco, se fosse uma “boyzinha” bem que eu queria arrochar, mas não fico a vontade,fica

estranho...

-Desencana Gabiru, se não é por amor é por Sport, disse eu... E então? Quem é que vai ditar o ritmo, eu ou você?

Gabiru:

- Claro que sou eu boy, você vai cavalgar igual a uma putinha...

Christiano me segurou pela cintura, começando a “dançar” no seu ritmo, ele me fazia subir e descer velozmente, sentia aquela rola adentrar no meu cú,me fazendo gemer de prazer...Cavalgava com êxtase,o tesão era enorme,indescritível...

Em meio à trepada, comecei a rebolar meus quadris, alternando em reboladas e cavalgadas, era sensacional, meu corpo estava tremulo,suava, além da temperatura elevada... Escorria lágrima de meus olhos...

Gabiru dava tapas na minha bunda, me fazendo sentir dor e prazer ao mesmo tempo...

- Toma sem vergonha! “Mulher” safada é para apanhar... Vou socar nesse rabo a tarde toda, vai voltar para casa todo arregaçado...

-É mesmo?! Você chama isso de trepada seu fresco?! Mete com vontade! Come o rabo da sua puta... Me faz gemer seu galado!Me arromba! Quero você dentro de mim até o talo...

- É isso que você quer?! É essa sua vontade?! Então sua putinha, depois não reclame...

Christiano não me segurou, ele agarrou minha cintura e começou a me puxar e bombar com violência, como se eu fosse uma boneca de sexo, parecia que ele tinha guardado seu “gás” para aquele momento, meu rabo doía, me agarrei em seu pescoço e comecei a gemer:

- Aaaaaah! Aaaaaah!Não para... Não para... Ai gostoso... Faz sua puta feliz!

- Isso Boy! Rebola na rola do seu macho... Aperta a rola do seu homem! Papai vai fazer você tomar leite de saquinho... Se prepara fresco! Vou encher essa boca de leite!

Desmontei de Gabiru e me ajoelhei aos pés da cama, desemborrachei o cacete e caí de boca, tendo minha cabeça sendo puxada para frente e para trás com força, foi rápido, senti a primeira jatada quente na minha boca.

- Vai fresco! Aaaaah...Isso...engole o leite de seu macho!Huuuum... Viado boqueteiro,não quero vez uma gota cair...

Não deixei passar e fiz oque o fresco pediu, tomando tudo.

Deitamos na cama para descansar, afinal estávamos só começando, aquela foi a primeira de quatro “pirocadas” naquele dia... Christiano me surpreendeu e disse:

-Bota a cabeça no peito de seu macho puta...

Eu comecei a rir e disse:

-Ué? Você não disse que gostava de romance?Ficou sentimental foi?

- Cala a boca fresco, quem manda aqui sou eu... E então quando iremos nós ver novamente?

- Sei não Gabiru, acho que vai demorar a nós vermos...

Qual o problema boy? É em casa, no colégio? É comigo?

-Não Christiano, nenhum problema, muito menos com você, se todos tivessem um problema como você, iriam adorar...

Eu sou comprometido com um garoto, ele é meu “namorado”, mas é tudo nas entoca,mas eu não quero trair ele,só vim em consideração a você,que foi meu primeiro macho,me desvirginou,isso nunca irei esquecer...

Espero que você não leve a mal, você é um cara dez...

- é boy, fico triste por perder um rabinho desses, mas você é um boy “rocheiro”, um boy legal,perco o cuzinho mas a amizade fica...Esse boy deve ser muito gostoso para tu ficar com ele...

- Sim, é gostoso, mas não chega aos seus pés em safadeza, mas há coisas maiores do que simplesmente sexo.

Gabiru continuou sendo meu amigo, nós vimos algumas vezes, trepamos outras, mas como muitos, ele sumiu de minha vida,não por decisão minha,pelos caminhos da vida simplesmente.

Assim como ele, conheci muitos caras legais, sexualmente escrotos e tarados,curti muito e nunca me arrependi,foram grandes tempos, uma infância saudável e sem drogas, há não ser as lícitas e viciado em um bom “falus gigantis”...

E a todos que lêem meus contos e gostam de contos, se divirtam muito, aproveitem cada momento, seja com quem ama ou com quem lhes é apenas atraente sexualmente, uma vida sem aventuras não é uma vida, é apenas desperdício de energia.

Como disse no primeiro ou segundo conto, curti com amigos, primos, irmãos e até inimigos, já consegui fazer até inimigos voltarem a serem amigos.

“Saber fazer... deixar acontecer e curtir a vida".

Comentários

16/10/2017 17:52:34
Bom.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.